Conteúdo pra todo mundo

10 06 2010

Queridos!!!

Estou organizando os conteúdos pro blog e resolvi perguntar para vocês, o que vocês querem ver por aqui!

Votem, e se quiserem dar outras dicas: comentem! Esse espaço é pra todo mundo ler o que gosta!





Pra dobrar, amassar…

4 06 2010

Papel. Aquele que você fazia barquinho, chapéu de soldado, desenhava… o Chamequinho! Colocaria minha mão no fogo ao dizer: Ninguém sobrevive sem papel. Será mesmo?!

O papel que eu vou falar hoje, nao é esse, do nosso cotidiano. É o papel colorido, texturado, diferente. Aquele papel de convite, com brilho. O papel especial.

Papéis Fedrigoni - marca Italiana

Mas o ponto principal é: leigos, não sabem o melhor tipo de papel para uma situação específica! Então, eu vou tentar ajudar, nem que seja um pouquinho! Vou começar falando das técnicas de impressão que você pode, um dia vir a utilizar:

DIGITAL: utiliza impressoras jato de tinta ou a laser. É  a técnica que permite que você imprima modelos unitários, de acordo com a necessidade.

OFFSET: é hoje um dos principais métodos de impressão de grandes tiragens. quantidades abaixo de 1000 unidades acabam ficando muito caras nesse processo, que se torna barato na medida que você aumenta a quantidade!

RELEVO AMERICANO: é a impressão usada em convites de casamento, formatura, 15 anos… que dão aquele aspecto “levantadinho”no texto, sem marcar o verso do

GRAMATURA: a gramatura do papel, é o peso dele em gramas, por metro quadrado. Uns são mais finos e outros mais grossos, na hora que você for escolher, não leve em consideração apenas o preço (quando aumenta a gramatura, o preço sobe, consequentemente) e sim a utilidade que esse papel vai ter. Ele vai virar envelope? vai ser miolo de um caderno, livro, agenda, publicações em geral? cartão de visitas? cardápio? folder? podem ser infinitas as opções… O mais importante é lembrar como você se sente ao pegar um cardápio (por exemplo) todo molenga, meio amassadinho? é ruim né? Ou então, um convite de casamento no mesmo esquema? “Ah, mas eles tão economizando ATÉ no papel do convite!” e assim vai… O principal aqui é, quanto maior a gramatura, mais firme é o papel!

TEXTURA: o papel texturado, é o papel que você consegue sentir. Dá vontade de ficar brincando e passando o dedo pra sentir as ruguinhas, dobrinhas, linhas em relevo… Aqui podemos citar os martelados, gofrados. São os papéis que eu recomendaria para fazer um envelope de convite e até mesmo o interno, ou uma capa. A única coisa, é que alguns papéis texturados não foram feitos para receber impressão.Então, na hora de comprar é sempre bom perguntar para um técnico (normalmente os vendedores sabem dizer, se não, designers sabem!).


TRANSPARÊNCIA: os papéis transluscidos são popularmente conhecidos como vegetais. Eles são um pouco transparentes, alguns com brilho, outros opacos. Dão um toque bem legal pra qualquer material, só não pode abusar muito! “O menos é mais!” Na hora de imprimir, existem algumas regrinhas, como a umidade da sala, o tipo de tinta utilizada ( no caso da impressão offset) entre outros detalhes, mas para a impressão digital, é tudo OK, bem simples de imprimir!


Existem inúmeras linhas, de várias marcas, com muitas opções para escolher, um mais lindo que o outro! Infelizmente eu nao vou nem conseguir falar de todas, até porque não conheço todas… Então, vou falar só de uma!

COLOR PLUS: os papéis color plus são muito conhecidos, talvez você só não saiba que o nome deles é esse! Os de cores fortes são muito conhecidos. Aqui, o único detalhe é lembrar que quando a impressão for digital, nao adianta muito comprar um color plus pretão e tentar imprimir em branco, porque provavelmente você não vai conseguir ver nada! Mas os papéis da linha plus são os que melhor aceitam técnicas de impressão!

É isso aí! Será que ajudou, ou só confundiu ainda mais?! =)





Pra levar no bolso

2 06 2010

(depois de um milenio sem atualizar…quem é vivo sempre aparece!)

A minha história de amor com sketchbooks, remete diretamente à minha infância. eu sempre gostei de papelarias, cadernos, canetas e afins. Quem me conhece, sabe. Quem nao me conhece, pode imaginar. Eu lembro perfeitamente do dia que eu realmente conheci o maravilhoso mundo dos sketchbooks, e me apaixonei, era uma lojinha pequena, bem coisa de designer mesmo, tinha aqueles lápis que são de grafite inteiriços, sem o revestimento de madeira, milhares de modelos de papel, coloridos, com textura e infinitos sketchbooks. Me apaixonei tanto que na hora já comprei e em seguida comecei a criar alguns modelos do jeito que eu queria! O fato é que os cadernos sem pauta, com folhas brancas ou creme e talvez um pouco texturizadas na cor creme são práticos para quem quer fazer anotações curtas, desenhos, etc.

O sketchbook mais famoso é o Moleskine uma marca de caderninhos italiana, inspirada no tecido moleskin, utilizado nos cadernos de rabiscos de grandes artistas da história. Os atuais são com capa de papel cartão, revestidos com um material impermeável, o que no meu caso é extremamente importante! E o mais legal: eles estão voltaram à moda! Principalmente porque o escritor Bruce Chatwin descreveu os cadernos de nota que ele utilizou em suas várias viagens.

What is Moleskine? ( mol-a-skeen’-a)
MOLESKINE is the legendary notebook that has held the inspirations and ideas of everyone from Van Gogh, Picasso and Hemingway to famed author, Bruce Chatwin. Artists, authors, and geniuses of all variety have long appreciated the simplicity and superior functionality of these notebooks.” –
MOLESKINE é o legendário caderno de anotações que guardou as inspirações e idéias de todo mundo, de Van Gogh, Picasso, e Hemingway e do famoso autor Bruce Chatwin. Artistas, autores e genios de todas as áreas há bastante tempo a simplicidade e funcionalidade superior desses cadernos.

Existem por aí alguma papelarias especializadas, aqui em Curitiba eu gosto muito da Lou Papeterie a primeira papelaria boutique de Curitiba (que inclusive fez aniversário semana passada!) e que, claro, não tem apenas sketchbooks, e é uma verdadeira perdição (pelo menos pra mim)!!!

Fuçando por aí, descobri o Atelier Machado em Sampa. Eles fazem sketchbooks, muito semelhantes aos moleskines, porém com um preço beeeem mais acessível! Sim, porque esse é o grande detalhe do Moleskine: o preço. Enfim, falando do Atelier, os sketch’s são muito lindinhos, tem vários modelos e é de deixar qualquer um babando!

Eu recomendo para todo mundo, mesmo se você não sabe desenhar… escrever, rabiscar… é a melhor maneira de colocar aquilo que você tá sentindo pra fora. e cada um tem seu jeito! E com certeza, é só procurar que você encontra um que seja a sua cara!