Caixinha das lembranças

20 10 2010

“Guarde suas vontades.
Não “guardar” no sentido de deixá- las numa gaveta, acumulando pó.
Guardar no sentido de nunca esquecer.
Guarde os dias perfeitos, os sorrisos, o sorvete no rosto, os olhos brilhando em meia luz. Guarde o assombro diante de um presente, diante do novo, do divino.
Mantenha consigo para sempre aqueles que lhe são queridos, as suas famílias adquiridas ao longo da vida, os abraços que deveriam ser eternos, as horas perenes.
Guarde os amigos distantes, as histórias ouvidas, o conforto de se sentir parte de algo maior. Guarde as crianças, mantenha-nas jovens eternamente, muito tempo depois de elas terem perdido a inocência e descoberto a vida real.
Guarde seus sonhos e os lugares que você ama como sempre quis que eles permanecessem.”

E foi assim que o meu projeto de conclusão de curso (em 2007) começou. Com essa poema sobre guardar, lembrar, não esquecer. Lembro direitinho do momento que eu li esse poeminha, escrito pelo Di Mancini (e seu incrível talento com as palavras)… Era óbvio que eu precisava escolher um tema que eu gostasse, mas era tão dificil escolher… E aí tudo ficou muito evidente! eu precisava envolver fotografia! de alguma maneira eu precisava que ela fizesse parte do meu projeto. E fez.

Tirar uma foto é congelar um momento do tempo, que pode ser ampliado, estudado, modificado e tratado para produzir uma ou até milhares de representações gráficas daquele mesmo momento. É uma arte que pode proporcionar maior satisfação, quanto mais fiel for retratado o que se pode ver.

 

amor de irmão

little ones

 

Tecnicamente falando, a palavra FOTOGRAFIA deriva das palavras gregas φως [fós] (“luz”), e γραφις [grafis] (“estilo”, “pincel”) ou γραφη grafê, significando “desenhar com luz” ou “representação por meio de linhas”, “desenhar”. A primeira fotografia reconhecida é uma imagem produzida em 1825 pelo francês Joseph Nicéphore Niépce, numa placa de estanho coberta com um derivado de petróleo chamado Betume da Judéia. Foi produzida com uma câmera, sendo exigidas cerca de oito horas de exposição à luz solar. Em 1835 Daguerre desenvolveu um processo usando prata numa placa de cobre denominado daguerreotipo.

Pela sua natureza, a fotografia é ferramenta ou objeto de estudo da antropologia visual, representada pela imagem. A fotografia é uma imagem e possuí uma linguagem conotativa e denotativa, ou o óbvio e o obtuso. A fotografia também pode ser classificada como tecnologia de confecção de imagens.
Para algumas pessoas, fotografar é um ato prazeroso, de estar figurando ou imitando algo que existe. Já para outras, é a necessidade de prolongar o contato, a proximidade, o desejo de que o vínculo persista.

A fotografia é, pra mim, o melhor registro dos melhores momentos das nossas vidas! Aquela foto de infância, com você sem um dos dentes da frente, sorrindo… ou então, você com fantasia de carnaval, na sua formatura do jardim de infância. Tudo aquilo que você não quer esquecer, sejam momentos, pessoas, lugares…E é a forma preferida de muita gente para registrar os momentos importantes de suas vidas.


Eu tenho várias fotos impressas, e  confesso, poderia ter muito mais (preguiça de mandar revelar). Adoro mostrar as fotos que tirei, contar detalhes de cada um daqueles momentos tão importantes pra mim, é a possibilidade de reviver quantas vezes quiser aquilo que marcou a nossa vida! =)





Um pouco do meu eu

18 10 2010

“a pressa é inimiga da perfeição!”  Juro que essa demora toda não é proposital e eu queria escrever mais frequentemente…

A Ma Bibas publicou há um tempinho um texto que eu achei muito legal! Então resolvi seguir na onda e contar um pouco de mim, só um pouco assim, sem ficar chato… Confesso que o texto ficou pronto no dia que eu li no blog dela, mas eu resolvi fazer uma imagem que expressasse tudo isso! Gostei tanto dessa imagem que coloquei de background no meu desktop! =)

um pouco do meu eu.

Sou designer, sou estudante. Sou uma busca eterna por equilíbrio e satisfação. Sou muito razão. Mas também, emoção. Sou na verdade uma mistura que depende do dia, hora e lugar. Sou busca incansável por perfeição. Não gosto de ser erro, nem metade (não tenho gostado de largar o blog, que eu mal comecei, assim, as traças e teias de aranha).

Sou inverno com sol, largada na grama de um parque qualquer. Mas também sou por do sol na praia em um dia de verão.

Sou bala azeda, de doer a mandíbula. Mas sou o salgado, o empadão de frango e o pão de queijo. Sou arroz e feijão todo dia. Mas também sou o brigadeiro de festa de criança, o cachorro quente, a batatinha frita. Sou nescau todo dia de manhã e sou coca cola ZERO desde que inventaram ela.

Sou Disney, Israel, NY. Na verdade sou viagem, pé na estrada, pra qualquer lugar que você me convide (e que meu dinheiro banque).

Sou memória, embora ela tenha falhado ultimamente. Sou imaginação fértil, criatividade. Sou sonho, mas também sou pé no chão.

Sou verde limão, azul, rosa. roxo também. Sou all star e jeans, sempre que dá. Sou sketchbook pra escrever, qualquer coisa, qualquer hora. Sou livros, sempre e incansavelmente. Sou mestrado, sou dedicação. deveria ser mais dedicação.

Na verdade, sou um pouco de tudo, esse tudo, que eu nao sei exatamente o tamanho, quero poder ser tudo um pouco.

E você?!  =)





Arte por aí: Hidden Mickeys

5 07 2010

Não é segredo, e eu não escondo de ninguém, sou uma “Disney Freak” assumida e com muito orgulho! Semana passada fui pra Londrina conhecer o grupo que eu vou acompanhar esse ano e a minha nova dupla! MAs ok, sem divagar muito… com a proximidade do retorno pra NEVERLAND, não resisti e resolvi fazer um Arte por aí dedicado à uma e apenas uma das inúmeras particularidades do complexo Disney: Hidden Mickeys!

Mas, o que seriam “isso” você que nunca ouviu falar em nada parecido deve estar pensando… Bom, Hidden Mickeys nada mais são do que as formas do mickey ºoº em lugares inusitados, inesperados e nao obrigatoriamente sempre visíveis.

plantação na Flórida

Eu tenho um livro, que eu comprei uma das vezes que eu fui pra Disney, porque tem muito hidden mickey, mais do que a gente pode imaginar. Nas filas intermináveis em julho, nada melhor do que se distrair procurando por eles!

Hidden Mickey no Toy Story MidWay Mania

O legal é que o livro dá as dicas de como procurar, etc. etc. etc. Eu nao vou contar aqui, porque perde a graça! o mais legal é procurar e encontrar!!!!

Livrinho parceiro de Disney

Hidden mickey, em primeiro lugar é uma coisa pra pessoas que curtem Disney, porque é claro, se você vai pra lá pela primeira vez, a ultima coisa que você quer ver é um hidden mickey na fila da Splash Mountain. Concordo muito com isso, eu só vim a notar que eles existiam quando trabalhei lá. e olhe, eu fiquei lá por 3 meses… e só dei atenção ou descobri que existia, quase na hora de voltar pra casa!

Not so hidden né?!

O fato é, que a busca é contagiosa! Você começa a procurar, e quando encontra e mostra pra alguém, essa pessoa provavelmente vai, inevitavelmente achar um outro! Na verdade, você começa a procurar hidden mickeys FORA das propriedades disney (eu sei, loucura)! O pior é se você encontra… eu encontrei uns numa mochila aleatória!

Hidden Mickey no Caribbean Beach Resort

Existem também hidden mickeys nos filmes do grupo Walt Disney, e esses, confesso, fazem parte do meu esporte favorito! Eu paro, volto, procuro… até achar! hauhauahauha

Hidden Mickey no filme Branca de Neve

E agora, vou voltar a devorar o livro, porque semana que vem… eu vou procurar mais uns pessoalmente! =)

ºoº Have a magical day! ºoº





Pra dobrar, amassar…

4 06 2010

Papel. Aquele que você fazia barquinho, chapéu de soldado, desenhava… o Chamequinho! Colocaria minha mão no fogo ao dizer: Ninguém sobrevive sem papel. Será mesmo?!

O papel que eu vou falar hoje, nao é esse, do nosso cotidiano. É o papel colorido, texturado, diferente. Aquele papel de convite, com brilho. O papel especial.

Papéis Fedrigoni - marca Italiana

Mas o ponto principal é: leigos, não sabem o melhor tipo de papel para uma situação específica! Então, eu vou tentar ajudar, nem que seja um pouquinho! Vou começar falando das técnicas de impressão que você pode, um dia vir a utilizar:

DIGITAL: utiliza impressoras jato de tinta ou a laser. É  a técnica que permite que você imprima modelos unitários, de acordo com a necessidade.

OFFSET: é hoje um dos principais métodos de impressão de grandes tiragens. quantidades abaixo de 1000 unidades acabam ficando muito caras nesse processo, que se torna barato na medida que você aumenta a quantidade!

RELEVO AMERICANO: é a impressão usada em convites de casamento, formatura, 15 anos… que dão aquele aspecto “levantadinho”no texto, sem marcar o verso do

GRAMATURA: a gramatura do papel, é o peso dele em gramas, por metro quadrado. Uns são mais finos e outros mais grossos, na hora que você for escolher, não leve em consideração apenas o preço (quando aumenta a gramatura, o preço sobe, consequentemente) e sim a utilidade que esse papel vai ter. Ele vai virar envelope? vai ser miolo de um caderno, livro, agenda, publicações em geral? cartão de visitas? cardápio? folder? podem ser infinitas as opções… O mais importante é lembrar como você se sente ao pegar um cardápio (por exemplo) todo molenga, meio amassadinho? é ruim né? Ou então, um convite de casamento no mesmo esquema? “Ah, mas eles tão economizando ATÉ no papel do convite!” e assim vai… O principal aqui é, quanto maior a gramatura, mais firme é o papel!

TEXTURA: o papel texturado, é o papel que você consegue sentir. Dá vontade de ficar brincando e passando o dedo pra sentir as ruguinhas, dobrinhas, linhas em relevo… Aqui podemos citar os martelados, gofrados. São os papéis que eu recomendaria para fazer um envelope de convite e até mesmo o interno, ou uma capa. A única coisa, é que alguns papéis texturados não foram feitos para receber impressão.Então, na hora de comprar é sempre bom perguntar para um técnico (normalmente os vendedores sabem dizer, se não, designers sabem!).


TRANSPARÊNCIA: os papéis transluscidos são popularmente conhecidos como vegetais. Eles são um pouco transparentes, alguns com brilho, outros opacos. Dão um toque bem legal pra qualquer material, só não pode abusar muito! “O menos é mais!” Na hora de imprimir, existem algumas regrinhas, como a umidade da sala, o tipo de tinta utilizada ( no caso da impressão offset) entre outros detalhes, mas para a impressão digital, é tudo OK, bem simples de imprimir!


Existem inúmeras linhas, de várias marcas, com muitas opções para escolher, um mais lindo que o outro! Infelizmente eu nao vou nem conseguir falar de todas, até porque não conheço todas… Então, vou falar só de uma!

COLOR PLUS: os papéis color plus são muito conhecidos, talvez você só não saiba que o nome deles é esse! Os de cores fortes são muito conhecidos. Aqui, o único detalhe é lembrar que quando a impressão for digital, nao adianta muito comprar um color plus pretão e tentar imprimir em branco, porque provavelmente você não vai conseguir ver nada! Mas os papéis da linha plus são os que melhor aceitam técnicas de impressão!

É isso aí! Será que ajudou, ou só confundiu ainda mais?! =)





Quem nunca fez…

20 04 2010

… uma colagem, um recorte, uma montagem… que atire o primeiro lápis!

Essa é real. Muita gente fala: Ah, eu não sei fazer arte, eu não sou artista. Mas vai dizer que você nunca fez um cartão de dia das mães na escola!?

A idéia incial, confesso, nao foi minha! E preciso realmente agradecer, porque era exatamente isso que eu queria quando comecei a escrever, que vocês me dessem idéias, sugerissem mudanças! Aproveito esse momento pra agradecer, não só o Lilo, que revisou meu primeiro texto e me deu dicas valiosas, mas também o ale, que me sugeriu o tema de hoje!

Isso TAMBÉM é arte! Todo mundo pode, e a maioria das pessoas faz, mas nem sabe que faz.

Se você NUNCA fez nenhum recorte, colagem, composição, se você não brincou com cola colorida… Então, vou dar algumas sugestões dá pra tentar, pelo menos uma vez, pode ser divertido!

Na faculdade a gente tinha uma matéria chamada Planejamento e Configuração Bidimensional (ah! como eu gostava dessa aula!). A gente fazia colagens, recortes de formatos amebóides, composição com papel colorido…   Consegui resgatar alguns desses meus trabalhos, aí vão as poucas composições que eu encontrei!!!

Mas não são essas as únicas colagens, ou montagens que a gente pode fazer, ou criar! O mais legal é soltar a imaginação e não ficar preso em estereótipos! Não se preocupe se “vão curtir?!” o mais importante é fazer!

E isso também vale para fotos! Se você nao curte ou não tem paciência para recortes e colagem, montagem fotográfica também pode ser legal!!!

Também lembrei da nova identidade visual do THE SUB’S aqui em Curitiba, que eu curti um monte! Ficou bem “American way” retrô!!

espero que vocês curtam e se inspirem!!

Mãos a obra!!